Rancharia

(18) 3265-1329

Como calcular o lucro do boi gordo

Antes de colocar seu gado à venda é importante que se tenha em mente o custo de produção de cada cabeça. A administração da fazenda passa por uma série de questões, que vão desde questões técnicas de manejo até a negociação da venda de gado. Até chegar a esta última etapa, a atividade exige diversos investimentos e, consequentemente, gastos que devem ser compensados posteriormente – para isso é fundamental acompanhar de perto as movimentações e saber calcular sua margem de lucro.

O mercado do boi gordo apresenta variações constantes no preço e, por isso, é importante saber o custo dos seus animais para aproveitar oportunidades de bom negócio. O custo do gado não é um valor fixo, pois depende de variáveis, como gasto com mão de obra, valor de medicamentos, sal mineral e outros itens que podem encarecer ou baratear o produto final.

Outro ponto que deve ser observado é o tempo que o gado leva para se tornar um boi gordo pronto para o abate. Entre matrizes e reprodutores, o que se considera é o período que levam para alcançar a maturidade sexual.  Por isso, a precocidade animal é tão valorizada pelos criadores, pois significa que o gado tem potencial para produzir mais em menos tempo. Na pecuária também vale aquele velho ditado: “Tempo é dinheiro!”.

Custo versus lucro do boi gordo

A melhor metodologia para controlar o custo do seu rebanho é adotando uma planilha que deverá ser atualizada constantemente com todos os gastos, sejam eles fixos ou variáveis. Também é importante acrescentar os gastos que se teve com a compra de gado e reservar uma aba para atualização do peso do animal. Assim, terá quanto custou cada cabeça de gado e poderá calcular o lucro com base no preço de venda.

Como aumentar o lucro do boi gordo

Como já dissemos, a lucratividade está relacionada aos custos do rebanho de gado e o tempo que leva para atingir a condição perfeita para o abate. Por isso, uma das formas encontradas pelos criadores – preocupados em otimizar a atividade – é diminuindo o período entre desmama e abate. Para isso, é preciso investir em animais com alto padrão racial e que tenham características produtivas bem-desenvolvidas, melhoramento genético, aprimoramento de técnicas de manejo e oferta nutricional adequada às necessidades do gado.

Quando falamos no investimento em animais de alto padrão racial, estamos pensando também em uma renovação do rebanho por meio da seleção de reprodutores com genética superior.